Outubro de 2018

"Considero que a Rede T é uma boa ferramenta para todos os amantes de gastronomia. Quem gosta de cozinhar, seja principiante ou queira aprender mais, aqui encontra novas tendências, dicas de empratamento e as últimas novidades não só sobre restauração, mas também sobre hotelaria."

Chef Benoit Sinthon

Choco Addict, Memórias da Minha Infância

Cremoso CHOCOLATE NEGRO

  • Leite 400 grs
  • Glucose 20 grs
  • Nata elle vire 35 % 800 grs
  • Gelatina folha 10 grs
  • Chocolate NEGRO 430 grs

Cremoso CHOCOLATE LEITE

  • Leite 400 grs
  • Glucose 20 grs
  • Nata Elle Vire 35% 80 grs
  • Gelatina folha 10 grs
  • Chocolate LEITE 700 grs

Cremoso CHOCLATE BRANCO

  • Leite 400 grs
  • Glucose 20 grs
  • Nata Elle Vire 35 % 800 grs
  • Gelatina folha 8 grs
  • Vagem Baunilha Bourbon 2 unds
  • Chocolate BRANCO 680 grs

Montagem;

processo de confeção CREMOSO CARAIBES:
aqueçer no banho maria o chocolate NEGRO, JUNTAR O LEITE com o glucose, as folhas de gelatine derretedita MEXER BEM E POR NO COPO EM CAMADAS, DEIXAR DESCANSAR NO FRIGORIFICO 2 H ENTRE CADA CAMADAS.

processo de confeção CREMOSO CHOCOLATE BRANCO:
aqueçer no banho maria o chocolate NEGRO, JUNTAR O LEITE com o glucose, as folhas de gelatine derretedita MEXER BEM E POR NO COPO EM CAMADAS, DEIXAR DESCANSAR NO FRIGORIFICO 2 H ENTRE CADA CAMADAS.
Guardar no frio.

No momento de servir, colocar um pouco de ARROZ TUFADO CARAMELIZADO OR NÃO, AVELAS TOASTADAS.


BOM APETITE  :)

Chef Benoît Sinthon

Nasceu em 1972, em Gardanne,  perto de Marselha.
Desde cedo habituou-se aos mercados, à frescura dos produtos e ao mistério dos aromas. Na companhia da avó, Benoit, aguardava pelos fins-de-semana para fazer as compras. Na cozinha já ajudava e cedo adquiriu a  ”técnica” de mexer nos tachos para ajudar nas refeições da família.

Aos 17 anos já sabia que queria ser cozinheiro e de vontades fortes fez o seu caminho:
Tirou o curso em  Gap 05, nos Alpes franceses, na escola profissional de hotelaria local, com o grau de bacharelato de cozinha. Passa por restaurantes como Hostellerie du Vallon de Valrugues,  o  Chateau de Rochegude, ambos com uma estrela Michelin, o  La Cote St Jacques  com  três estrelas Michelin e Casa Velha Do Palheiro, membro da Relais & Chateaux, na Madeira, restaurantes que o marcaram e onde vai beber alguma da sua disciplina, criatividade e inspiração.

Na Madeira torna-se um Chefe em comunhão direta com o ambiente. É onde se sente feliz. Os produtos, a sazonalidade pouco acentuada e a proximidade com o mar compõem o seu dia-a-dia. É na Madeira que, sob a chefia, viu o restaurante do Hotel The Cliff Bay, o “Il Gallo D’Oro”, receber, em 2008, uma estrela Michelin, galardão que vê renovado consecutivamente até 2017, ano em que o restaurante é distinguido com duas estrelas Michelin, que mantém até à data.  
A técnica e a exigência que imprime é clássica francesa, mas a sua cozinha é fluída e  repleta de sabor, fluí com os ingredientes que se encontram disponíveis, integrados com os temperos que desde sempre o fascinaram: a  cozinha aromática, ligeira onde junta a terra e o mar, com fortes influências do local onde nasceu.
 
Prémios e distinções:
2006 | restaurante Il Gallo d’ Oro considerado melhor restaurante do ano pela “Pegase” Magazine
2007 | Chef é entronizado como Discípulo Escoffier
2008 | restaurante  Il Gallo d’ Oro  ganha 1 estrela Michelin, galardão renovado anualmente até à data
2010 | Chef é nomeado Presidente dos Discípulos Escoffier em Portugal
2014 | restaurante Il Gallo d’ Oro considerado “Melhor Restaurante Gastronómico” do ano 2013, pela revista “Wine”
2015 | restaurante Il Gallo d’ Oro recebe 3 sóis do Guia Repsol
2017 | restaurante  Il Gallo d’ Oro  ganha 2 estrelas Michelin, galardão renovado anualmente até à data